Image Image Image Image Image

Blefaroplastia

A Cirurgia das Pálpebras é capaz de retirar o excesso (flacidez) de pele das pálpebras superior e inferior que aparece com a idade, além de remodelar a região, retirando bolsas de gordura protruídas. Com isso, dá um ar mais jovial a essa região tão atraente do rosto.

A cirurgia completa, incluindo a palpebral superior e inferior tem duração média de 1 a 2 horas. A anestesia utilizada pode ser a local com sedação ou geral, quando associada a outras cirurgias. Quando isolada, é uma cirurgia que não necessita de internação hospitalar e o paciente tem alta no mesmo dia da cirurgia. O retorno à vida social se dá entre o 5 e o 7 dia após a cirurgia, mas o uso de maquiagem nos olhos será liberado apenas após 14 dias.

 

PERGUNTAS FREQUENTES:

 

1) Existe uma idade ideal para operar?

Não existe uma idade ideal para operar. Existe sim o momento e a indicação certa. Flacidez de pele, bolsas gordurosas proeminentes, que conferem aspecto de cansaço, são mais comuns após os 40 anos. Algumas pessoas, porém, apresentam antes ou depois disso. Em geral , pacientes com pele mais clara apresentam essas alterações mais precocemente.

2) As cicatrizes ficam muito visíveis?

Não ficam. Essa é uma das cirurgias em que a cicatriz fica mais perfeitamente camuflável. As pálpebras “toleram” muito bem os procedimentos, resultando em cicatrizes ocultas nas dobras naturais, pouco perceptíveis ou “quase imperceptíveis”. Na pálpebra superior ela fica junto ao “sulco palpebral superior”, uma prega natural. Na inferior, fica há poucos milímetros dos cílios, de forma bastante aceitável. A maturação cicatricial passa por algumas fases, tornando-se mais claras com o passar dos meses.

palp1

3) Tenho “bolsas” que saltam principalmente na pálpebra inferior. Melhora?

Essas “bolsas” de gordura podem aparecer com a idade ou, em algumas pessoas, ser uma característica pessoal ou genética, aparecendo cedo na vida. Em ambos os casos podem ser diminuídas e atenuadas, diminuindo o visual de “cansaço” que as mesmas conferem ao rosto. Temos, no total, 2 bolsas na pálpebra supeiror e 3 na inferior. Cada caso deve ser avaliado individualmente quanto à parte a ser tratada. Se houver apenas bolsa de gordura, sem excesso de pele na pálpebra (comum em pacientes mais jovens), a cirurgia pode ser realizada pela via “transconjuntival”, com corte apenas na parte interna da pálpebra, sem nenhuma cicatriz externa (ver figura). Caso haja excesso de pele, a cicatriz externa abaixo dos cílios é necessária.

palp2

4) Cirurgia das pálpebras corrige “pés de galinha”?

A cirurgia corrige a flacidez das pálpebras. Atenua pequenas rugas na pálpebra. No entanto, não reduz em nada os “pés de galinha”, que são rugas na parte lateral do olho. Podem ser atenuadas com peelings, Botox® e preenchimentos.

 

5) É possível corrigir alterações da posição da pálpebra com essa cirurgia?

Sim. É muito frequente, após os 55 a 60 anos, ou antes, caso haja algum problema, alterações da posição da pálpebra. Ocorre mais comumente na pálpebra inferior, devido à frouxidão da pele e das estruturas que sustentam a pálpebra. Durante a cirurgia existem manobras que podem reposicionar a pálpebra e o canto palpebral.

 

6) Além da pálpebra flácida, tenho a sobrancelha caída. Vai corrigir?

Não. São problemas diferentes, com tratamentos diferentes. A sobrancelha caída é corrigida pela cirurgia de Lifting de supercilious ou pela  frontoplastia. Quando a sobrancelha é caída, em geral, sobra um pouco de pele na região externa (lateral) após a cirurgia da pálpebra, tornando o resultado “parcial”.

 

7) Cirurgia de pálpebra dói muito? Fica muito roxo e inchado?

A cirurgia de pálpebra não dói. Apenas compressa gelada é suficiente para efeito anti-inflamatório; previne o inchaço e diminui as manchas roxas. Se dói muito, não está seguindo o repouso e cuidados devidos, ou algo pode não estar bem. A pele da região dos olhos é muito fina e delicada, sendo assim, pequenos traumas causam inchaço, manchas roxas e certa dificuldade para abrir os olhos nos primeiros dias. Em geral, no dia da retirada dos pontos (5 a 7 dias), já está bem melhor.

 

8) Em quanto tempo são retirados os pontos?

Cinco a 7 dias são suficientes. Muito cuidado é necessário na hora de enxugar o rosto, vestir uma camisa/camiseta de gola mais apertada, pois pequenos traumas podem ser suficientes para abrir os pontos nesta fase inicial.

 

9) Os olhos ficam ocluídos após a cirurgia?

Os olhos não ficam ocluídos. Apenas as pálpebras ficam inchadas. Certo “peso” nas pálpebras pode ocorrer.

 

10) Quais os riscos dessa cirurgia? Posso ficar cego?

Como sempre enfatizamos, todo procedimento tem seus riscos. Inchaço demasiado e hematomas são os mais frequentes inconvenientes. Sensação de “olho seco”, manchas vermelhas na conjuntiva (parte branca do olho) são menos frequentes, mas desagradáveis. Ectrópio (pálpebra evertida para fora) e mau posicionamento palpebral são raros e necessitam de cuidados especiais. Alterações na posição da pálpebra são as mais temidas e responsáveis pelo aspecto artificial de “olho operado”. A medicina está em constante evolução e, felizmente, esses casos têm diminuído cada vez mais.

Complicações mais sérias, como cegueira, já foram relatadas na literatura médica. Em geral estão relacionados a cirurgias maiores como a reconstrução de pálpebra ou em pessoas com doenças oculares e sistêmicas (cardiopatias, hipertensão não controlada, diabetes, etc). Ponto crucial nessa cirurgia, assim como nas outras, é realizá-la apenas quando o paciente goze de boa saúde e tenha condições clínicas mínimas associadas a bom preparo pré-operatório.

 

11) Tenho o “olho ressecado”, pode piorar?

Todo paciente com sintomas de “olho seco” deve visitar o oftalmologista antes de operar as pálpebras. Após manipulação cirúrgica, as glândulas que produzem a lágrima podem ficar “preguiçosas” por certo período, piorando o desconforto. Nessa fase, colírios que lubrificam os olhos são muito úteis.

 

12) Ouvi dizer que o laser de CO2 pode substituir essa cirurgia. É verdade?

Em alguns casos pode sim. Em pacientes com discreta flacidez na pálpebra inferior, o laser de CO2 pode amenizar o problema, evitando a cirurgia. Porém, para atingir o mesmo resultado da cirurgia, a intensidade do laser deve ser “forte”, resultando em inchaço e descamação da pele. Ou seja, as alterações e restrições ocasionadas por ambas as intervenções são similares. Converse com seu médico sobre esta possibilidade.

 

13) Afinal, vale à pena operar?

Desde que não esteja esperando por mudanças “milagrosas”, mas para atenuar as marcas do tempo, vale à pena sim. As cicatrizes são esteticamente aceitáveis e camufláveis nas dobras naturais das pálpebras. Você vai passar por diversas fases na recuperação e, por vezes, perceberá assimetrias, inchaço, manchas roxas e fios de sutura, todos em locais extremamente visíveis. Muitas vezes gera certa angústia e você deve estar preparada para isto. Consulte somente seu cirurgião para “saber se tudo está indo bem”. Comparações com casos de amigas apenas geram insegurança e ansiedade. Prepare-se, informe-se! E boa cirurgia!